14.8.11

O Turista


Sabe aqueles filmes que ao terminar já dá vontade de ver de novo? Que dá vontade que de fato aqueles personagens existissem e que você um dia poderia conhecê-los?
Para mim foi essa a sensação ao assistir  O Turista.
O grande público se decepcionou. Ver duas megas estrelas juntas Jolie e Depp só podia dar em um ritmo muito quente e acelerado...Não...não foi bem assim.
É aquela coisa, você tem que saber qual a intenção do diretor. Tanto que indico que vejam primeiro os extras para poder entender. E tenho certeza que a vontade de ver o resultado vai ser grande e não haverá decepções.
Pra quem viu muitos filmes dos anos 50 que digamos, eram meio paradões, com closes intermináveis na estrela da vez, não vai achar o filme chato, mas algo como uma homenagem aos filmes desse estilo.
O enredo é sobre uma mulher belíssima², sim ao quadrado, que está sendo seguida e até parece se divertir com isso. Recebe uma carta de alguém que fez parte de seu passado e parece que deu motivos a ela, para não querer vê-lo mais. 
cena no caffé, com as câmeras atrás
A carta dá orientações para seguir da França para Venice e como todos sabem que ela tem seus passos seguidos minuto a minuto, ela se aproxima de um homem que tenha o tamanho do remetente da carta, dando a pensar que se trata dele. 


O homem, claro, se vê encantado com toda a beleza, mistério e über charme da mulher inglesa com olhos verde esmeralda. 
Muito luxo, requinte, vestidos e jóias belíssimas compõe o visual da bela Elise Ward.



 Mas o filme tem ritmo sim, a Elise é muito esperta para poder tirar o seu apaixonado da encrenca que se mete por causa dela. 

E no final tem um vilão inglês meio russo atrás do Alexander Pierce, o tal da carta. E a Interpol também, que nos presenteia com um momento bem eletrizante causado pelo policial com dor-eterna-de-cotovelo.
A trilha sonora é uma pérola! Composta por James Newton Howard que nos dá um toque de romantismo, ao mesmo tempo que podemos perceber um toque de música eletrônica francesa, nos lembrando que estamos em plano século XXI e não nos idos do XX nos anos 50.
Trilha sonora é um elemento crucial como pano de fundo e mesmo "moldura" de um filme. O Turista, se você não achar motivo em gostar dele pelo enredo ou pela beleza da Angelina Jolie (que não aparece totalmente nua nesse filme..rsr), pode encontrar motivo, no cenário, nas roupas maravilhosas, na trilha sonora...em saber quem é o turista de fato...

0 respirando cinema:

Postar um comentário

Pode respirar à vontade...

 

Featured