25.4.11

Casa Comigo / Leap Year


Sabe aqueles filmes que você vai tomando partido, querendo que o fim seja como você vai construindo, fica cheia de suspiros pensando num amor-romântico e torce para que tudo dê certo ( o seu "certo"...cof...cof...cof) ?
Assim foi como me senti assistindo Casa Comigo com a lindinha Amy Adams. 
A história é a seguinte: jovem de sucesso na área de decoração com namoro fixo e duradouro (4 anos) com um talentoso cardiologista e prestes a comprarem um apartamento, (daqueles, onde avaliam até seu DNA, para então decidirem vender - o nem um pouco barato imóvel), decidida a ver sua união oficializada. Decide aproveitar a tradição onde as namoradas podem pedir a mão do rapaz na cidade de Dublin, onde o namorado está num congresso. Porém pelo capricho da vida ela não consegue chegar no vôo direto para em Dublin. Acaba, numa tentativa de contornar as interpéries, num vilarejo a algumas horas da cidade de destino. E vai se defrontar com um universo bem diferente do seu de metrópole, de vida agitada, de valores pautados em status, de fama e dinheiro. Conhece um rapaz local,turrão, meio grosso, mas com um senso de humor e calma invejável. Além, claro, atrás daquela barba mal feita, um homem lindo! O filme vai se desenrolando mostrando o campo dos arredores de Dublin, com seu folclóre, que não é muto diferente do que eu vejo no interior do Ceará,onde moro. Muito mito sobre o que fazer,no dia certo, no dia em que não dá certo. Senti que Dublin não é muito longe daqui. Inclusive com o "o toque" do violino na festa de casamento (por onde o casal passa) que me fez lembrar as festas juninas. E a personagem vai percebendo que a vida pode ser mais simples e mais rica também se tiver ao seu lado um amor de verdade para chamar de seu!

Quantas estrelinhas dou para esse filme? de 0 a 5, dou 6!

0 respirando cinema:

Postar um comentário

Pode respirar à vontade...

 

Featured